Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content

Leilões industriais são solução econômica para grandes e pequenas empresas

Prática é comum em empresas de grande porte que querem substituir o parque fabril; empresas menores podem comprar equipamentos a preços mais baixos

Todos os anos grandes indústrias enfrentam o mesmo problema: veem seus equipamentos serem substituídos e acumulam material ocioso em suas dependências. Outros artigos remanescentes da produção e dos serviços como resíduos químicos, mobiliário de escritório e frotas de automóveis também são inutilizados com o passar do tempo. Uma solução para esse passivo são os leilões industriais, que além de desafogar as fábricas possibilitam que empresas menores comprem maquinário e produtos de qualidade adequados para seu volume e nicho de negócios.

“O leilão de equipamentos industriais otimizar a venda de peças e produtos para que possam ser reaproveitados por outras empresas. Via leilão, as indústrias conseguem melhorar o valor de venda dos bens e os compradores têm a possibilidade de obter material de qualidade por um valor mais atrativo que no mercado convencional”, explica Helcio Kronberg, leiloeiro que atua no segmento há mais de 21 anos e que promove com recorrência leilões do gênero.  

Em países como Estados Unidos e Austrália, durante a crise do minério em 2012, por exemplo, os leilões ajudaram grandes e pequenas indústrias. Um operador de minas australiano arrematou três tratores por US$ 1 milhão de dólares. Caso tivesse optado por comprar máquinas novas teria gasto três vezes mais.  

“Geralmente, as empresas renovam o parque fabril, as frotas de automóveis, entre outros produtos, e inutilizam seus bem ativos por não conhecerem a opção do leilão. Elas não sabem que é uma atividade legal, quais bens podem ser leiloados e quanto isso pode gerar de lucro”, diz Kronberg.

Para o leiloeiro, o Paraná é um ambiente favorável para essas licitações, com um futuro promissor. “O estado concentra grandes polos industriais e a práica tem se tornado mais comum entre as empresas. É importante que as indústrias tenham mais informação para que possam compreender e aderir aos leilões”, finaliza.

O Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) não incide nos leilões de ativos fixos, apenas há tributação sobre o lucro das empresas. 

Sobre Helcio Kronberg

Leiloeiro público oficial com 22 anos de experiência na área, com formação nas áreas de gestão e jurídica. Possui mestrado e é Doutorando em Direito, docente e diretor da Faculdade Pan-americana de Administração e Direito (FAPAD). É autor de vários livros e docente, além de jurisconsulto com várias titulações acadêmicas. Desde 2018 faz parte do rol dos leiloeiros mais notáveis do Brasil. Para mais informações basta acessar: https://www.kronbergleiloes.com.br/